Cantando o Sagrado Feminino

No final de 2021, tive um projeto aprovado e contemplado pelo prêmio Aldir Blanc.



O projeto consistiu em 12 encontros, ou oficinas para um grupo vocal composto por mulheres, sendo 6 on-line e 6 presenciais.

Estas queridas cantoras foram selecionadas dentro do critério de amor pelo canto coral, possibilidades de participar dos ensaios, diversidade étnica e que quizessem experimentar formas diferentes de uso da voz, de pesquisar e cantar um repertório diferente do tradicional.


Nós queríamos nos sentir ligadas à nossa essência feminina, exaltando a representatividade de diversos povos e religiões representadas pelos cânticos às divindades femininas.

Nos poucos encontros escolhemos trazer algumas divindades para cantá-las e louvá-las:

  1. Nanã, a orixá das águas dos poços, pântanos e fontes, cantamos um Ponto de Nanã;

  2. Inana, a antiga deusa da Suméria, com um trecho de um cântico composto pela sacerdotiza, En-Heduana, a primeira compositora que registrou sua canção, há mais de 3500 a.C. Não poderia ficar de fora.

  3. Pachamama - escolhemos um coro feminino composto pela compositora gaúcha Ester Scliar;

  4. Um mantra da deusa hindú Saraswati, a deusa da sabedoria, das artes e da beleza;

  5. E, por último, mas tão próxima de muitas de nós, a belíssima canção Ave Maria Brasileira, dos compositores Vicente Paiva e Jaime Redondo.


Os arranjos foram feitos por mim, Inês Hartt, com todo o amor pelas nossas mulheres cantoras e pelo sagrado ato de cantar nossa essência divina.

A grande novidade é que este projeto de 12 oficinas vai se transformar a partir de 4 de outubro num Coro Feminino!

Nós ensaiaremos todas as 3ªs feiras, no nosso Encanto Espaço Musical, que poderá ser abençoado por nossas vozes.

Vem cantar conosco, se se sentir chamada... Vem!


AcordeSocial

As contribuições financeiras para que este programa do Coro Feminino aconteçam serão feitas através de uma nova forma de definição do valor a ser pago pela participante.

As ideias que norteiam esta proposta são:

  1. uma busca por novas maneiras de se relacionar com o dinheiro e aumentar a consciência sobre o valor do trabalho de uma musicista e educadora musical. (Pesquisas, preparação de partituras, escrever os arranjos, compor, se necessário. O cuidado com sua própria voz e aperfeiçoamento. A maestrina ocupa grande parte de seu tempo para estas funções, além do horário do ensaio em si) .

  2. pessoas diferentes tem necessidades e capacidades financeiras diferente. Cada um sabe do seu bolso.

  3. ao oferecer este serviço, tenham certeza que vou dedicar todo o meu empenho e minha alma para oferecer o melhor serviço possível.

  4. Cabe a quem é beneficiária deste serviço providenciar os meios financeiros para viabilizar o trabalho.

Em resumo: a cantora (cliente), determina o valor a ser pago segundo suas capacidades, necessidades e consideração por quem está oferecendo o trabalho. Ao definir o valor e forma de seu pagamento, peço que leve em consideração o seguinte:

  1. em que medida o que está sendo oferecido lhe interessa?

  2. que valor o que está sendo oferecido tem para vocẽ?

  3. qual é sua real condição financeira?

  4. quanto gostaria de receber se estivesse ofertando este mesmo serviço/produto a outras pessoas?

  5. quanto estaria disposto a pagar a mais para que outras menos favorecidos possam pagar menos? (sem prejuízo para quem oferece o trabalho.) Após esta reflexão, ao preencher a ficha de inscrição do programa de estudo, indique no campo apropriado o valor e a forma de pagamento (parcelas) de sua contribuição. Perguntas e respostas: P: possuindo o perfil adequado ao coro feminino, serei aceita independentemente do valor que proponho pagar? R: sim, O valor proposto não é um critério de seleção. P: posso oferecer algum tipo de serviço em troca pelo estudo? R: não. P: posso não pagar nada? R: não. P: se por alguma razão eu quiser ou precisar interromper minha participação no coro, devo continuar pagando o que propus originalmente? R: sim, pois isso impacta no orçamento geral do programa de ensaios e afeta todas as envolvidas. Todavia, casos excepcionais podem ser avaliados individualmente. P: os valores pagos por cada participante serão divulgados às demais? R: não. Somente quem oferece o programa terá acesso a esta informação.


32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo